Os rins do mundo: porque as florestas são relevantes para o Dia Mundial da Água e para a Rio+20

BOGOR, Indonésia (22 de Março de 2012)_O fato de que as árvores desempenham um papel fundamental no fornecimento de água limpa é um ponto ainda a ser plenamente aproveitado por muitas cidades do mundo.Não na cidade de Nova York, que está protegendo ativamente uma floresta a 160 km de distância pelo papel que as suas árvores desempenham no fornecimento de água potável para a Big Apple.
Shares
0

Most popular

Foto cortesia de Andy Arthur / flickr

BOGOR, Indonésia (22 de Março de 2012)_O fato de que as árvores desempenham um papel fundamental no fornecimento de água limpa é um ponto ainda a ser plenamente aproveitado por muitas cidades do mundo.Não na cidade de Nova York, que está protegendo ativamente uma floresta a 160 km de distância pelo papel que as suas árvores desempenham no fornecimento de água potável para a Big Apple.

O surpreendente papel das florestas no fornecimento de água limpa para uma das cidades mais densamente povoadas do planeta nos faz lembrar que as florestas também merecem aplausos pelo seu papel fundamental na sustentabilidade dos recursos hidricos e de alimentos enquanto nós celebramos o Dia Mundial da Água e do seu tema em 2012, “água e segurança alimentar “.

A água é uma das sete questões críticas a serem discutidas na Rio+20, e a ligação entre água e segurança alimentar é feita imediatamente no site da campanha: “A escassez de água, a má qualidade da água e o saneamento inadequado impactam negativamente a segurança alimentar, as escolhas de subsistência e as oportunidades de educação para as famílias pobres em todo o mundo. ”

O que não é mencionado pela página da Rio+20 é o papel vital que as florestas desempenham na disponibilidade de água, na qualidade da água, na regulação do clima e na segurança alimentar, salien tado em recente pesquisa do CIFOR e outros. Um relatório recente do Instituto Internacional para Gestão da Água e do Programa Ambiental da ONU discute como um novo foco sobre os ecossistemas, como as florestas, podem ofercer melhorias na alimentacao e segurança da água.

As florestas ajudam a manter a base de solos e da água que sustenta a agricultura. De acordo com a Organizacao das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), oito por cento das florestas do mundo desempenham um papel fundamental na conservação do solo e da água. Microbacias florestadas fornecem uma fonte vital de água potável para uso humano, estimatada em cerca de 75% da água potável no mundo.

“As florestas fornecem uma gama de serviços em bacias hidrográficas, tais como a proteção da qualidade da água, a redução do fluxo durante as tempestades, a recarga dos aquíferos subterrâneos e a conservação do fluxo de água durante a estação seca”, disse Bruno Locatelli, cientista do CIFOR e do CIRAD.

“Esses serviços são essenciais para muitos de nós. Por exemplo, a conservação dos fluxos de água da estação seca é essencial para o abastecimento de água potável, para a agricultura, navegação, geracao de energia hidrelétrica, manutençao da fauna de água doce, ou recreação. A redução do fluxo durante tempestades beneficia habitações, infra-estrutura ou agricultura, em áreas sujeitas a inundações. ”

Florestas podem até ajudar a atrair chuvas. Embora existam muitas incertezas sobre as relações entre o desmatamento e a reducao das chuvas, uma pesquisa recente (também discutida pelos cientistas do CIFOR Daniel Murdiyarso e Douglas Sheil em um artigo de 2009) sugere que a cobertura florestal desempenha um papel muito maior na determinação da precipitação do que previamente reconhecido pelos climatologistas.

De acordo com Locatelli, estes serviços hidrológicos são especialmente importantes para as comunidades rurais nos trópicos, onde os meios de subsistência dependem diretamente das chuvas sazonais e do fluxo dos rios, por exemplo, para agricultura, pesca ou transporte.

Ainda, os serviços hidrológicos das florestas são igualmente importantes para as populações urbanas. De acordo com um relatório publicado pelo World Wildlife Fund em 2003, cerca de um terço (33 de 105) das maiores cidades do mundo obtem uma parte significativa de sua água potável diretamente de áreas florestais protegidas. Outras oito cidades retiram a água de florestas manejadas de uma forma que prioriza as suas funções para o fornecimento de água.

Uma das funções mais importantes florestas prestam a este respeito é melhorar a qualidade da água. A poluição da água é a principal causa da reducao na disponibilidade de água e pode ter graves impactos sobre o meio ambiente e na saúde humana, particularmente em países em desenvolvimento, onde 70 por cento dos resíduos industriais são canalizados, sem tratamento, para corpos de água – sem mencionar os dois milhões de toneladas de esgoto e outros efluentes drenados todos os dias para as águas do mundo.

Os cientistas referem-se a zonas úmidas como ‘os rins do mundo’, porque estas purificam e retardam o fluxo de água para o mar, ajudando a controlar inundações e poluição da água. Mas o nosso mundo está passando por insuficiência renal – de acordo com o Instituto deÁguas das Nações Unidas, metade das zonas úmidas do mundo foram perdidas desde 1900. Quando as florestas ao redor de lagos e igarapés estão intactas, elas atuam como um sistema de filtragem, reduzindo a quantidade de sedimentos, produtos químicos e agrotóxicos no lençol freático.

Além de ser os rins do mundo, as florestas são também muitas vezes chamadas de “pulmões do mundo“, porque elas absorvem o carbono da atmosfera e produzem oxigênio, e é essa função que tem atraído atenção crescente nos últimos anos, enquanto o mundo enfrenta o desafio das mudanças climáticas.

As florestas são instrumentais para os esforços para ajudar as comunidades agrícolas a lidar com secas mais frequentes e com inundações que vêm associadas com um clima cada vez mais variável.

Enquanto o papel das florestas na mitigacao de inundações em grande escala ainda está em debate, um estudo do CIFOR e da FAO mostrou que as florestas mitigam inundações pequenas e localizadas, e parecem retardar as águas de enchentes maiores enquanto elas correm a jusante.

As florestas podem também funcionar como “suprimentos de emergência” em situações de desastres. Por exemplo, quando as comunidades rurais na Indonésia foram recentemente devastadas por uma enchente catastrófica, um estudo do CIFOR descobriu que as florestas próximas ajudaram a fornecer às comunidades vulneráveis a subsistência básica por muitos meses após o desastre. E elas cumprem uma função semelhante durante a seca.

Mas não é só em tempos de crise que as pessoas dependem das florestas – mais de um bilhão dentre as pessoas mais pobres do mundo vivem em ou próximas a áreas de florestas e dependem do fornecimento de recursos florestais. Frutas silvestres e verduras fornecer muitos dos micronutrientes que mantêm comunidades rurais nutridas e saudáveis. A carne de caça obtida em florestas é uma fonte crucial de proteínas para populações dependentes da floresta (por exemplo, muitas comunidades rurais da Bacia do Congo dependem da caça para até 80 por cento das gorduras e proteínas em sua dieta). Comunidades usam as florestas até mesmo como sua dispensa de medicamentos.

Em suma, tendo apenas tocado superficialmente de todas as maneiras pelas quais as florestas beneficiam a segurança de água e alimentar, o abastecimento futuro de água e de alimentos não pode ser assegurado sem florestas.

Mas mesmo com a demanda por alimentos e água aumentando, as terras abrigando remanescentes florestais estão desaparecendo – devido à mudanças no uso da terra, mudanças climáticas, surtos de inseto ou de doenças e por incêndios mais frequentes – afetando a vitalidade dos ecossistemas e comprometendo a sua função de tampão hidrológico.

Para preservar os serviços essenciais e as funções de rede de segurança que os ecossistemas florestais fornecem para a subsistência de comunidades locais e para preservar os serviços florestais sobre os quais o mundo pode ainda não estar ciente, as florestas precisam ser mantidas na agenda global em eventos como a Rio+20 .

“É correto evitar considerar as florestas como uma panacéia para todos os problemas relacionados com a água, mas também não podemos evitar o fato de que o manejo e a conservação florestal são fundamentais para o manejo da água”, disse Locatelli.

Para garantir que a Rio+20 ofereça uma mensagem global de que as florestas são relevantes para o desenvolvimento sustentável, o CIFOR irá coordenar uma das conferências mais importantes sobre florestas no dia 19 de junho de 2012. Florestas: a 8a Mesa Redonda na Rio+20 vai discutir novos resultados da pesquisa, as lacunas de conhecimento restantes e as implicações políticas para a integração de florestas nas soluções a quatro desafios fundamentais para o progresso em direção a uma economia verde: energia, alimentos e renda, água e clima. As vagas são limitadas. Registre-se aqui, para evitar decepções!

(Visited 38 times, 1 visits today)
Topic(s) :   REDD+
Related Stories
Most popular